Para quais Indicações se Utiliza o Transplante

Para quais Indicações se Utiliza o Transplante

O transplante de medula óssea é uma modalidade de tratamento indicada para doenças relacionadas com a fabricação de células do sangue e com deficiências no sistema imunológico. Os principais beneficiados com o transplante são pacientes com leucemias originárias das células da medula óssea, linfomas, doenças originadas do sistema imune em geral, dos gânglios e do baço, e anemias graves (adquiridas ou congênitas).

Outras doenças, não tão frequentes, também podem ser tratadas com transplante de medula, como as mielodisplasias, doenças do metabolismo, autoimunes e vários tipos de tumores. O transplante de medula óssea pode ser indicado para o tratamento de um conjunto de cerca de 80 doenças.

Lista de indicações de transplante de medula da Portaria nº 2.600, de 21 de outubro de 2009, do Ministério da Saúde:

1. Transplante Alogênico Aparentado de medula óssea:
– Leucemia mielóide aguda;
– Leucemia linfóide aguda / linfoma linfoblástico;
– Leucemia linfóide aguda Ph+
– Leucemia mielóide crônica;
– Anemia aplástica grave adquirida ou constitucional;
– Síndrome mielodisplásica, incluindo a leucemia mielomonocítica crônica;
– Imunodeficiência celular primária;
– Talassemia major;
– Mielofibrose primária em fase evolutiva;
– Leucemia linfóide crônica;
– Mieloma múltiplo;
– Linfoma não Hodgkin indolente;
– Doença de Hodgkin quimiossensível.

2.Transplante Alogênico Aparentado de sangue periférico:
– Leucemia mielóide aguda;
– Leucemia linfóide aguda / linfoma linfoblástico;
– Leucemia linfóide aguda Ph+
– Leucemia mielóide crônica;
– Síndrome mielodisplásica, incluindo a leucemia mielomonocítica crônica;
– Talassemia major;
– Mielofibrose primária em fase evolutiva;
– Leucemia linfóide crônica;
– Mieloma múltiplo;
– Linfoma não Hodgkin indolente;
– Doença de Hodgkin quimiossensível.

3. Transplante Alogênico Aparentado de sangue de cordão umbilical:
– Leucemia mielóide aguda;
– Leucemia linfóide aguda / linfoma linfoblástico;
– Leucemia linfóide aguda Ph+
– Anemia aplástica grave adquirida ou constitucional;
– Síndrome mielodisplásica, incluindo a leucemia mielomonocítica crônica;
– Imunodeficiência celular primária;
– Talassemia major;
– Mielofibrose primária em fase evolutiva;
– Linfoma não Hodgkin indolente;
– Doença de Hodgkin quimiossensível.


1. Transplante Autólogo de medula óssea e sangue periférico:
– Leucemia mielóide aguda;
– Linfoma não Hodgkin;
– Doença de Hodgkin quimiossensível;
– Mieloma múltiplo;
– Tumor de célula germinativa;
– Neuroblastoma.


1. Transplante Alogênico Não Aparentado de medula óssea:
– Leucemia mielóide aguda;
– Leucemia linfóide aguda / linfoma linfoblástico;
– Leucemia linfóide aguda Ph+;
– Leucemia mielóide crônica;
– Anemia aplástica grave adquirida ou constitucional;
– Síndrome mielodisplásica, incluindo a leucemia mielomonocítica crônica;
– Imunodeficiência celular primária;
– Osteopetrose;
– Mielofibrose primária em fase evolutiva.

2. Transplante Alogênico Não Aparentado de sangue periférico:
– Leucemia mielóide aguda;
– Leucemia linfóide aguda / linfoma linfoblástico;
– Leucemia linfóide aguda Ph+;
– Leucemia mielóide crônica;
– Síndrome mielodisplásica, incluindo a leucemia mielomonocítica crônica;
– Imunodeficiência celular primária;
– Osteopetrose;
– Mielofibrose primária em fase evolutiva.

3. Transplante Alogênico Não Aparentado de sangue de cordão umbilical:
– Leucemia mielóide aguda;
– Leucemia linfóide aguda / linfoma linfoblástico;
– Leucemia linfóide aguda Ph+;
– Anemia aplástica grave adquirida ou constitucional;
– Síndrome mielodisplásica, incluindo a leucemia mielomonocítica crônica;
– Imunodeficiência celular primária;
– Osteopetrose;
– Mielofibrose primária em fase evolutiva.