Vida Depois do Transplante

Nos primeiros 100 dias após o transplante de medula óssea (TMO), há maior risco de contrair infecções. Nesse período, você deverá ficar próximo à unidade de transplante para facilidade de atendimento. É importante procurar o seu médico se tiver febre, calafrios, mal-estar, problemas com o cateter, mudanças no aspecto das fezes e da urina, alterações na pele, tosse, falta de ar, enjoo, vômitos, dificuldades para tomar a medicação prescrita, dores em qualquer local do corpo e se entrar em contato com portadores de doenças infecciosas.

Durante o primeiro ano após o TMO, as defesas contra infecções ainda não estão recuperadas. Portanto, todo cuidado é pouco para prevenir infecções. Evite contato com animais, plantas, pessoas com doenças contagiosas (como sarampo, catapora, caxumba e outras) e crianças que receberam vacinas de sarampo, rubéola e Sabin (para poliomielite), pois os vírus destas vacinas serão eliminados durante 3 a 4 semanas.
Algumas infecções podem ser transmitidas por germes encontrados em piscinas, açudes, lagoas e praias. Evite tomar banho nesses locais ao longo do primeiro ano depois do transplante e receber muitas visitas. Muitas pessoas podem portar infecções sem perceber.

CUIDADOS ESPECIAIS

Pele
A pele é especialmente sensível ao tratamento e pode manifestar precocemente a doença enxerto contra hospedeiro (reação das células transplantadas contra o organismo do receptor). Os transplantados têm risco aumentado de câncer de pele, portanto não se exponha ao sol, principalmente no primeiro ano pós-TMO. Use chapéu ou sombrinha, além de roupas que protejam do sol, evite sair de casa nos horários em que o sol esteja mais forte e passe filtro com fator de proteção solar 30 (em gel ou livre de óleo).
Prefira sabonete do tipo hidratante sem perfume, creme hidratante à base de vitamina A, ureia ou lactato de amônia após o banho. Evite maquiagem, cosméticos, perfume e qualquer substância que possa irritar a pele.

Boca
Os cuidados com a higiene da boca são necessários em todas as etapas do tratamento. É preciso seguir as orientações do cirurgião-dentista especialista que vai avaliá-lo.
Mantenha os lábios umedecidos com hidratante labial com vitamina E ou com manteiga de cacau, óleo mineral e/ou filtro solar labial, quando necessário. Caso a criança receba irradiação no corpo todo na época do desenvolvimento dos dentes permanentes, ela deve ser examinada e acompanhada.

Uso de máscara
A máscara será necessária sempre que você estiver em contato com outras pessoas, até a liberação do uso pelo seu médico. Três meses depois do transplante não será mais necessário utilizá-la na presença das pessoas que vivem regularmente com você e familiares que não tenham doenças contagiosas.Evite aglomerações em locais públicos, como lojas, supermercados, shoppings e cinemas.

Mantenha as mãos limpas
A lavagem cuidadosa das mãos é tão importante quanto o uso da máscara porque muitas doenças são transmitidas por meio do contato manual. É essencial lavar as mãos depois de ir ao banheiro e antes das refeições. Mantenha as unhas aparadas e limpas. A pessoa que estiver cuidando de você também deve lavar as mãos frequentemente.

RETORNO ÀS ATIVIDADES

É muito importante o seu retorno à vida social após longo período de internação. Portanto, estar em sua casa, com as pessoas com quem convive, será fundamental para sua recuperação.
Não se assuste se perceber algumas dificuldades de memória e leve sempre consigo uma agenda para anotar tudo que for importante. Evite ficar parado o dia inteiro. Mesmo que não tenha vontade, tente se movimentar.
Em geral, depois do período de um ano após o transplante você poderá voltar às suas atividades normais. A recuperação é um processo lento, mas progressivo. Para isso, mantenha um programa de boa alimentação, descanso e exercícios leves.