WMDA realiza encontro virtual para reunir representantes do mundo

A World Marrow Donor Association (WMDA), organização que reúne registros de doadores voluntários de medula óssea de todo o mundo, realizou seu encontro anual de 22 a 26 de junho, o WMDA Office Meetings and Webinars. Este ano, pela primeira vez, o Encontro foi realizado integralmente no formato virtual, com webinars que permitiram a participação de representantes de entidades de todo o mundo, inclusive do Brasil. Dentre os diversos temas, o evento contou com sessões voltadas para o impacto da pandemia de Covid-19 no cenário do transplante.

Durante os cinco dias do Encontro, foram apresentadas as iniciativas que a WMDA tem desenvolvido para reforçar sua missão de promover a colaboração global e o compartilhamento das melhores práticas para o benefício de doadores de células-tronco e pacientes. Um exemplo é o desenvolvimento de um novo algoritmo de busca, com base nos mais de 37 milhões de doadores e unidades de cordão, que permitirá estimar as chances de compatibilidade entre pacientes e doadores, além de otimizar a realização de testes complementares e o tempo de busca para os pacientes. Este projeto conta com a participação da equipe do REDOME em sua fase de validação e beneficiará pacientes em todo o mundo, inclusive no Brasil.

Outro tema relevante apresentado foi o relatório anual de “Eventos Sérios e Reações Adversas”, que envolve doadores voluntários ou pacientes, e que garante a revisão dos procedimentos médicos a fim de aumentar a segurança da doação e do transplante.

O REDOME teve a oportunidade de participar, com uma grande parte da equipe, do encontro virtual. A coordenadora técnica do REDOME, Danielli Oliveira, avaliou como positiva a realização do encontro virtual como forma de reforçar a atuação dos registros durante a pandemia. “O novo formato não substitui a interação e a alegria dos encontros “reais”, mas a realização deste evento contou com a participação de diversos colaboradores do REDOME e comprovou o caráter essencial das atividades dos registros de doadores de medula que, em todo o mundo e diante de todas as dificuldades do atual cenário, mantiveram suas atividades nos últimos meses, garantindo a realização de transplantes no Brasil e no mundo”, declarou a coordenadora.

Impacto da pandemia Covid-19 no transplante

A WMDA fez um levantamento sobre o impacto da pandemia nas operações dos registros de diferentes países e revelou uma redução de 25% nas buscas relacionadas em sua base de doadores, entre fevereiro e junho, como um efeito direto da pandemia. Além disso, uma pesquisa revelou que 94% dos registros mantiveram suas atividades durante este período e que em 92% deles, apesar das dificuldades, não ocorreu perda de produtos celulares por questões relacionadas ao transporte. Este bom resultado pode ser atribuído às mudanças nos protocolos de coleta, especialmente, a recomendação de criopreservação dos produtos antes da infusão – o que passou a ser a conduta adotada pela grande maioria dos países. Por outro lado, questões controversas como a testagem de doadores assintomáticos durante a etapa de work up e o destino de produtos criopreservados não utilizados, receberam importantes contribuições de participantes do Encontro, uma vez que cerca de 17% dos produtos criopreservados em centros de diferentes registros não foram infundidos.

Outra constatação foi o aumento da indisponibilidade de doadores durante as solicitações de work up, em grande parte, por questões relacionadas à pandemia como medo, restrições de viagem, fatores de risco para COVID e questões familiares. Por outro lado, foram identificados apenas três casos de doadores que apresentaram sintomas sugestivos e/ou teste positivo para SARS-Cov-2, sem evidência de dano direto ao doador ou receptor.

Em outro levantamento, a WMDA revelou que não foram reportados casos de infecção entre doadores, após visita ao centro de coleta, ou infecção grave entre doadores, durante a mobilização a coleta.

Estes dados, juntamente com a ausência de evidência de transmissão do SARS-Cov-2 pelos produtos de células-tronco hematopoéticas, evidenciam todo o esforço que registros, centros de coleta e centros de transplante, têm dedicado para garantir a segurança de doadores e pacientes, em uma crise que afeta todo o planeta e reforça a importância desta grande rede de colaboração internacional.

Clique aqui para acessar os webinars e as apresentações do Encontro WMDA.

Cadastro Newsletter:

Cadastre-se para receber periodicamente novidades sobre o REDOME.